Skip to main content Skip to search

5 passos indispensáveis para abrir uma empresa na região de ribeirão preto.

1-Examine o mercado

O mercado é composto não apenas dos consumidores, mas também da concorrência. Procure realizar pesquisas para entender seus competidores e o quanto os consumidores estão propensos a aceitar um novo produto. Isso lhe dará a segurança para instalar sua empresa em um local com alta possibilidade de sucesso, por exemplo.

Verifique ainda a disponibilidade do futuro nome de sua empresa e, caso sua empresa gire em torno de um produto inovador, pesquise também se ele não viola nenhuma patente já

2-Faça um planejamento financeiro

O sucesso de um negócio é fruto de um bom planejamento. E, ao abrir uma empresa é preciso estar com as finanças em dia para não levar nenhum susto.

Além disso, é preciso que o empresário tenha dinheiro no caixa para pelo menos três meses sem lucro. 

3-Faça um plano de negócios

Esse planejamento vai demonstrar se o seu negócio é viável, considerando estratégia, mercado, operações e gestão financeira. 

Planejar-se é um dos passos mais importantes para o empreendedor e pode definir o sucesso de sua empresa ou projeto. Com o plano em mãos, o empreendedor tem a oportunidade de antecipar-se aos possíveis erros e conhecer os pontos fracos e fortes do negócio. Poderá chegar ao mercado com mais segurança e conhecimento.

4 -Legalize seu negócio

A legalização de sua empresa passa por diversos setores da administração pública, como se registrar na junta comercial, obtenção do CNPJ pelo site da Receita Federal, alvará pela prefeitura do município, inscrição estadual na Secretaria da Fazenda, previdência e solicitação para emissão de notas fiscais.

Nesta fase é preciso estudar com cuidado e decidir qual o melhor regime tributário para a sua empresa.

5- Busque um contador

São necessários tantos documentos para abrir uma empresa.

Este profissional irá te auxiliar a reunir tudo o que é necessário para o contrato social e a emissão do CNPJ.

Além disso, ele possui domínio técnico suficiente para lhe indicar qual o melhor sistema tributário para o tipo de empresa que você deseja abrir, fato este que é uma grande vantagem, tendo em vista a alta quantidade de impostos do país, os quais, dependendo do perfil de seu negócio, podem ser significativamente reduzidos.

Tem outras dúvidas sobre o assunto? Entre em contato com a  Santos Contabilidade, estamos prontos para te ajudar.

Read more

DRE: o que é e por que é importante?

Se você pretende profissionalizar a gestão do seu negócio e está em busca de ferramentas e técnicas para isso, é muito provável que você tenha se deparado com a sigla DRE. Se você pretende profissionalizar a gestão do seu negócio e está em busca de ferramentas e técnicas para isso, é muito provável que você tenha se deparado com a sigla DRE.

DRE ou Demonstrativo de Resultado do Exercício é um instrumento bastante utilizado por muitas empresas para alavancar seus resultados.

Trata-se de uma ferramenta que permite a análise da situação financeira, beneficiando empreendedores que buscam excelência na gestão do seu negócio.

Com o DRE, líderes e gestores de diferentes níveis podem ter a ciência concreta acerca do lucro ou do prejuízo da empresa e, consequentemente, agir de forma a reverter os cenários negativos em tempo.

O DRE também favorece a realização de um planejamento estratégico e oferece um bom panorama para eventuais investidores que estejam interessados em sua empresa.

Se você quer saber como funciona o DRE e de que forma ele pode beneficiar o seu negócio, acompanhe o post de hoje.



Como fazer o DRE?

Basicamente, a montagem do DRE consiste em calcular receitas e despesas a alocá-las em subcontas, até que sobre o resultado final — o lucro líquido do período.

Veja agora um exemplo de estruturação com números hipotéticos:

  • faturamento bruto de serviços ou vendas: R$ 300 mil;
  • (-) impostos diretos: R$ 35 mil;
  • (-) devoluções ou cancelamentos: R$ 10 mil;
  • FATURAMENTO OPERACIONAL LÍQUIDO: R$ 255 mil;
  • (-) despesas com compra de materiais ou produtos: R$ 50 mil;
  • LUCRO BRUTO: R$ 205 mil;
  • (-) despesas gerais e administrativas: R$ 60 mil;
  • LUCRO LÍQUIDO ANTES DOS IMPOSTOS SOBRE O LUCRO (apenas para empresas não optantes pelo Simples Nacional): R$ 145 mil;
  • (-) provisão de impostos sobre o lucro: R$ 50 mil;
  • RESULTADO DO EXERCÍCIO: R$ 95 mil.

Para que serve o DRE?

Legalmente, é uma das obrigações que as empresas têm de cumprir. Contabilmente, o demonstrativo apresenta o lucro do último ano com base nos registros feitos pelas contas de resultados da escrituração contábil.

Agora, no sentido gerencial, a serventia do DRE está em possibilidades como:

  • analisar a lucratividade do período;
  • comparar a lucratividade de diferentes períodos;
  • analisar despesas em relação ao faturamento;
  • avaliar o lucro em relação à receita bruta.

Em suma, são práticas de análise de indicadores financeiros que servem tanto para controlar e analisar as finanças quanto para tomar decisões sobre a empresa em relação a outras áreas

Como analisar o DRE?

Existem duas formas de análise: a vertical e a horizontal. Cada uma serve para uma finalidade e ajuda a extrair um tipo de respostas sobre o demonstrativo.

Análise vertical

Nessa análise, utiliza-se apenas um demonstrativo: o que precisa ser analisado. Então, percentuais são marcados verticalmente na relação entre diferentes componentes do documento.

Por exemplo, na hipótese que colocamos de estruturação, temos um faturamento de R$ 300 mil e despesas gerais de R$ 60 mil. Logo, esses custos representam 20% da receita bruta. Então, esse percentual seria colocado ao lado do total de despesas gerais, indicando o que ele significa.

Dessa forma, o responsável pode relacionar todos os números do documento entre si, além de estabelecer ligações entre eles.

Análise horizontal

Nesse formato, mais de um período é avaliado para fazer as comparações. Portanto, diferentes DREs são colocados lado a lado, para que se visualize o progresso, aumentos e reduções nos números.

Depois da organização dos documentos lado a lado, percentuais são atribuídos aos números comparados. Por exemplo, se no DRE mais antigo houve lucro líquido de R$ 80 mil e, no posterior a ele, o lucro foi de R$ 88 mil, a marca de +10% é colocada ao lado dos R$ 88 mil.

Pela importância, pelas complexidades na elaboração e por servir gerencialmente à empresa, é fundamental contar com especialistas em contabilidade para fazer o DRE e utilizá-lo corretamente. Isso porque qualquer erro o torna inútil para questões gerenciais, além de poder gerar penalidades do Fisco pelo envio de informações inconsistentes.

Então, entre em contato conosco para manter em dia e com exatidão a sua contabilidade e poder usá-la na gestão da sua empresa!

Read more
Contabilidade medico

Médico pessoa física ou pessoa jurídica, qual vale mais a pena?

Após se formar e começar atuar profissionalmente, no caso de profissionais liberais como os médicos, tem a opção de tributar essas receitas através da pessoa física e também da pessoa jurídica. Agora qual é a opção que melhor se enquadra, no que tange a minimizar a carga tributária? Como profissional, a carga tributária será  menor ao fazer os recolhimentos através de uma pessoa jurídica. Veja como isso é simples e quais os benefícios ao adotar essa ideia!

Muito médicos acreditam que os encargos de pessoa física são menores, isso ocorre porque como PF, alguns não declaram os valores reais do faturamento à Receita Federal. Mas, com o E-Financeira, programa onde as instituições financeiras informam à Receita Federal todas as movimentações acima de dois mil reais de pessoas físicas, o controle e a fiscalização da Receita está cada vez mais incisivo, ou seja, é um grande risco não efetuar a declaração corretamente e acabar sendo notificado pelo fisco

Além disso caso o profissional médico opte em trabalhar como empregado,  ou seja,   como Pessoa Física, seu salário sofrerá retenção na fonte, ou seja,  esse profissional irá receber sem proventos já descontado o Imposto de Renda.

A melhor decisão, para profissionais liberais, como no caso do médico , é constituir uma empresa. O profissional médico, constituindo, por exemplo sua clínica, obterá um CNPJ,  a partir daí constituída a sua Pessoa Jurídica,  com isso alcançará uma série de benefícios, tanto a você, como profissional, e à sua clínica, como negócio.

Na parte tributária, se a sua clínica pessoa jurídica  faturar anualmente até R$360.000,00, ela será uma MICROEMPRESA,  podendo optar pelo SIMPLES NACIONAL, modelo que,  no caso de Pessoa Jurídica, é o mais em conta no que tange a economia de tributos. Existem também outras opções tributárias como Lucro Presumido e o Lucro Real, mas o importante no inicio é sempre buscar o apoio de um Contador para a melhor orientação e  escolha do melhor caminho.

Maiores oportunidades de trabalho

A maior parte das clínicas e hospitais optam por contratar profissionais prestadores de serviço. Dessa forma é possível eliminar a necessidade de vínculo empregatício e diminui consideravelmente os altos encargos e burocracias trabalhistas. Nesses termos, existem mais oportunidades abertas para profissionais que possuem a própria empresa, ou seja, pessoas jurídicas.

Retorno Financeiro 

Não são somente as clínicas e hospitais que pagam menos impostos contratando pessoas jurídicas, os profissionais prestadores de serviço pessoa jurídica também contam com um porcentual menor de impostos se comparado ao que profissionais pessoas físicas pagam de Imposto de Renda.

Flexibilidade de trabalho

O médico pessoa jurídica possui uma autonomia maior para trabalhar em diferentes empreendimentos, montando seus horários da forma mais conveniente e sem ter vínculo trabalhista com nenhuma instituição.

É uma boa possibilidade de trabalhar para diferentes clínicas e hospitais e de forma autônoma em consultório próprio. Mais um meio de aumentar o faturamento.

E então, está em dúvida ainda em qual a melhor opção? Ou você ainda tem alguma nova questão?

Fique a vontade e  entre em contato com a Santos Contabilidade. Somos uma empresa contábil especializada na contabilidade para médicos.

Read more